Pages Menu
Categories Menu

Postado em set 8, 2016 em Adoro, Destaque

Porto Alegre em Cena inicia em 13 de setembro

 

Durante as próximas duas semanas, o festival internacional de teatro movimentará a cidade com mais de 35 espetáculos. O evento deve levar­­­ 22 mil pessoas aos palcos da cidade, ocupados por atores, bailarinos e cantores do Brasil e do exterior. Confira abaixo o serviço atualizado com todas as atrações da maratona cênica

Mais de 35 espetáculos de teatro, dança e música, em 13 espaços da Capital (de locais convencionais a bares e também ao ar livre) vão alimentar a cultura de Porto Alegre a partir da próxima terça-feira. A 23ª edição do Porto Alegre em Cena deve aproximar dos palcos cerca de 22 mil espectadores entre os dias 13 e 26 de setembro.

Vem da França uma das principais atrações neste ano, com uma proposta bastante contemporânea. BiT (referência direta à música eletrônica), de Maguy Marin, estreia sua turnê brasileira na cidade. Considerado pela crítica internacional como uma verdadeira e emocionante obra de arte, a montagem reúne coreografias pulsantes e cheias de significados de um mundo hiperconectado.

A dança, por sinal, é uma das grandes contempladas com espaço na grade de atrações. Do Rio, virá, por exemplo, Alex Neoral e a Focus Cia de Dança, que, além de três apresentações de Saudade de mim, também fará um workshop de técnicas cênico-corporais durante o evento, com inscrições gratuitas. O aprimoramento profissional que vem agregado ao festival é outro destaque. Serão em torno de 20 atividades paralelas, oficinas e workshops, com capacidade para receber próximo de 800 pessoas.

“O evento reverbera além do que é mostrado ao público, vai além dele mesmo. Pela qualidade e continuidade do trabalho, o que é fundamental, ajudamos a desenvolver um mercado de trabalho amplo, formado não apenas por atores, mas por cenotécnicos, iluminação, produção e outros. Hoje, muitas peças de fora, que desembarcam em Porto Alegre ao logo do ano, sequer trazem suas equipes. Contrata boa parte aqui mesmo pelo nível de exigência e qualidade que alcançamos”, explica Vika Schabbach, uma das coordenadoras do evento e responsável pelas atividades paralelas do festival.

Com reforço do foco em grupos e coletivos teatrais neste ano, o evento trará à Capital, além das peças, a história e a experiência de companhias como Grupo Galpão, Armazém Cia. De Teatro, Grupo Sobrevento e Magiluth, entre outros. O filtro de montagens de alta qualidade local e nacional reforça a importância histórica do Em Cena. Além de dez encenações de grupos da Capital, que disputam o Prêmio Braskem, escolhidas entre mais de 70 candidatas, nomes importantes do teatro nacional desembarcarão no estado ao longo de duas semanas.

Um exemplo é Matheus Nachtergaele (Processo de Conscerto do Desejo), interpretando textos de sua mãe, Cecília, que morreu quando o ator tinha apenas três meses. Dan Stulbach (Morte Acidental de um Anarquista) e Debora Bloch (Os Realistas) também estão entre os nomes com espetáculos na cidade.

Entre as muitas curiosidades, montagens como As Palavras da Chuva, que aborda o drama de um casal em três versões: heterossexual, homossexual masculino e homossexual feminino. Igualmente diferenciada é a apresentação Nós, na qual um grupo de amigos se reúne para uma última refeição conjunta, uma grande sopa, que é realmente preparada ao longo da peça, em tempo real, em pleno palco do Theatro São Pedro.

“Num momento tão delicado que estamos vivendo, é um milagre realizar um festival desse porte e se manter na programação dos eventos de artes cênicas do país. Por isso, voltamos o olhar para as companhias de teatro e dança que há anos batalham em para manter seus grupos com sede, desenvolvendo pesquisas e criando obras. Juntos, entre apresentações, workshops, ponto de encontro, restaurantes parceiros e ao longo de toda cidade, artistas de diferentes partes encontram com artistas gaúchos e com nosso público numa troca especial e importante de culturas: o desenvolvimento das artes no país, qualificação de nossos artistas e formação de público que um festival como o Em Cena proporciona”, avalia Fernando Zugno, diretor de produção e programação do festival.

Nesta edição, a madrinha do evento é Inês Marocco, diretora de espetáculos, pedagoga e pesquisadora gaúcha. Na coleção Gaúchos Em Cena, Zeca Kiechaloski escreve sobre Luiz Paulo Vasconcellos. Pelo sétimo ano consecutivo, a Casa de Teatro de Porto Alegre segue sendo o ponto de encontro do evento. O Café Bertoldo, localizado no interior do espaço, receberá atores, técnicos e o público das peças da programação.

O Porto Alegre em Cena é uma realização da Prefeitura de Porto Alegre por meio da Secretaria Municipal de Cultura. O festival é apresentado e patrocinado pela Secretaria de Estado da Cultura, Prefeitura de Porto Alegre, Petrobras e Braskem. Completam o time de patrocinadores Itaú, Panvel, Myticket e Timac Agro. O apoio cultural é de Fiergs e Sesi.

Os ingressos para todos os espetáculos estão à venda no site www.ingressospoaemcena.com.br, no telefone (51) 3030.1500 (ramal 512) e na loja Loja Myticket do Moinhos de Vento (Rua Padre Chagas, 327, loja 6), com valores entre R$ 10 e R$ 80.

 

Soledade, com Cida Moreira (SP)

Dia 13 de setembro / 21h / Theatro São Pedro

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional*

O espetáculo que Cida Moreira traz à Capital gaúcha, no dia de estreia do Porto Alegre em Cena, é intenso, melancólico e dramático. E eclético, como a própria cantora. Cida canta de O Pulso ainda Pulsa, dos Titãs, ao rock do Joelho de Porco, além de Chico Buarque e Milton Nascimento, entre outros, com algumas intervenções poéticas (recitando de Mario de Andrade a Bertold Brecht). Falecido em 2014, Nico Nicolaiewsky também ganha vida na apresentação do CD Soledade, lançado no ano passado.

 

Agora eu vou ficar bonita (SP)

Dias 14, 15 e 16 de setembro / 21h / Teatro Renascença

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional*

Com roteiro de Dráuzio Varella e Regina Braga, o espetáculo cênico musical aborda a delicada temática do envelhecimento, através de textos literários, poesias e músicas que falam das alegrias, dores, esperanças, incertezas e medos que todos sentem ao tomar consciência de que o tempo está passando, seja aos vinte, quarenta ou oitenta anos de idade. No palco, a experiente atriz Regina Braga e o cantor Celso Sim – acompanhados por competentes instrumentistas – intercalam cenas teatrais e canções de grandes sambistas, como Cartola, Nelson Cavaquinho e Candeia.

 

O Mal Entendido (RS)

Dias 14 e 15 de setembro/ 19h / Sala Álvaro Moreyra

Ingressos: R$ 30 inteiro / R$ 15 promocional*

A premiada montagem gaúcha, baseada no texto de Albert Camus e com direção de Daniel Colin, apresenta atmosfera sombria e visualmente impactante, trazendo ao público a tensão da busca de sentido e a incomunicabilidade que permeia as relações, convergindo numa imprevisível desgraça sobre uma humanidade descuidada e de valores em plena decadência. Apesar de o texto ter sido escrito há mais de 70 anos, a narrativa continua atualíssima, trazendo questionamentos sobre os comportamentos e funcionamentos das pessoas, como o que as move e como elas reagem aos acontecimentos.

 

Dona Flor e seus Dois Maridos (RS)

Dias 14 e 15 de setembro / 21h / Teatro da Santa Casa

Ingressos: R$ 30 inteiro / R$ 15 promocional*

Com direção dos reconhecidos artistas gaúchos Zé Adão Barbosa, Carlota Albuquerque e Larissa Sanguiné, o espetáculo traz à cena contradições tipicamente brasileiras, traçando um retrato inventivo e bem‐humorado das ambiguidades que marcam este país dividido entre compromisso e prazer, alegria e seriedade, trabalho e malandragem. Na encenação, Dona Flor, uma das mais conhecidas e exploradas personagens do consagrado autor Jorge Amado, divide-se entre o fiel Teodoro e o extravagante Vadinho, decidindo viver o melhor dos dois mundos.

 

As Palavras da Chuva – Chuva G – Chuva L (SP)

Dias 14, 15 e 16 de setembro / 18h / Teatro Bruno Kiefer

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional* (valor para assistir as três versões da peça em um mesmo dia, em sequência)

As Palavras da Chuva, Chuva G e Chuva L compõem a Trilogia dos Gêneros do Teatro de Rotina, companhia paulistana dedicada à pesquisa de linguagem cênica e performática. Nessa trilogia, a investigação de linguagem busca os tempos afetivos e a contemplação esquecida por uma civilização voraz. Com direção do prestigiado ator e diretor Leonardo Medeiros, os três espetáculos são montagens do mesmo texto do norte-americano Tennessee Williams, um dos mais aclamados autores do teatro ocidental. No palco, um casal encharcado pela chuva devaneia sobre amor e abandono. O que diferencia uma peça da outra é o embaralhamento de gêneros: As Palavras da Chuva é encenada por um casal homem e mulher, Chuva G por um casal de homens e Chuva L por um casal de mulheres.

 

De algún tiempo a esta parte (UY)

Dias 14 e 15 de setembro / 20h / Auditório do Goethe-Institut

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional*

O monólogo De algún tiempo a esta parte, escrito por Max Aub (Paris, 1903 /México DF., 1972) expõe as dores de uma mulher espancada pela vida: Emma, ​​a protagonista, perdeu o filho na Espanha nas mãos de republicanos e seu marido foi assassinado pelos nazistas logo após a chegada ao campo de extermíno de Dachau. Emma está em Viena, em 1938, entre o final da Guerra Espanhola e o início da Segunda Guerra Mundial. Dirigido por Mariana Wainstein e interpretada por Gabriela Iribarren, a montagem Uruguaia para o texto de Aub é um drama feito para refletir e também para ensinar.

 

Nós (MG)

Dias 15 e 16 de setembro / 21h / Theatro São Pedro

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional*

Gerada de um mergulho radical na experiência de mais de 30 anos do mineiro Grupo Galpão – um dos mais conceituados coletivos teatrais em atividade contínua no país – a 23ª montagem da companhia debate questões atuais, como violência e intolerância, a partir de uma dimensão política. Neste espetáculo, com direção do notável dramaturgo e diretor convidado Marcio Abreu, a plateia é chamada a presenciar situações de opressão e de convívio com a diferença, provocadas pelas relações de proximidade entre artista e espectador, público e privado, realidade e ficção. Nós estreou em abril deste ano e já é considerado um dos grandes espetáculos de 2016, pelo alto refinamento artístico apresentado, que une diversas linguagens e arrebata o público com sua consistência impecável e atmosfera envolvente.

 

Khaleh (RS)

Dias 15 e 16 de setembro / 20h / Teatro Carlos Carvalho

Ingressos: R$ 30 inteiro / R$ 15 promocional*

Espetáculo de Caxias do Sul nascido da vontade de explorar a temática da sabedoria humana de forma profunda, Khaleh – palavra iraniana que significa intimidade familiar e carinhosa com outra alma – é livremente inspirado no livro A Ciranda das Mulheres Sábias, da psicanalista e poetisa Clarissa Pinkola Estés. Aline Tanaã é a estela da peça, dirigida por Carolina Garcia.

 

AfroME (RS)

Dias 15 e 16 de setembro / 20h / Boteco do Paulista

Entrada franca

O segundo espetáculo do Pretagô – grupo de artistas que pesquisa identidade e representatividade negra nas artes – convida o público a brindar junto ao elenco neste evento em que a teatralidade é dispositivo para a celebração. Cenas realistas misturam-se com momentos de performances dos atores e músicos que borram as fronteiras de suas funções em busca de versatilidade. Arte, literatura, antropologia, filosofia, história e geografia atravessam o bar onde acontece a encenação. Esse espaço-tempo marginal se torna casa, cidade, país, continente e cenário.

 

O Casal Palavrakis (RS)

Dias 16 e 17 de setembro / 19h / Sala Álvaro Moreyra

Ingressos: R$ 30 inteiro / R$ 15 promocional*

Da jovem e premiada companhia ATO Cia. Cênica – que desenvolve sua pesquisa de linguagem na transformação como princípio – a peça com dramaturgia contundente da espanhola Angélica Liddell aborda de forma poética o cotidiano de um casal através de uma narrativa fragmentada e não linear, que avança e recua no tempo. Entre idas e vindas, uma voz em off tece e destece a trajetória do casal protagonista que, enquanto tenta vencer um concurso de dança, precisa lidar com a responsabilidade do nascimento de sua primeira filha e todas as mudanças que isso gera na vida deles. Aos poucos, o público é mergulhado numa atmosfera de violência e de pesadelo a qual não se pode fugir, expondo a decadência da condição humana.

 

Whatsapp para Shakespeare (RS)

Dias 16 e 17 de setembro / 21h / Teatro da Santa Casa

Ingressos: R$ 30 inteiro / R$ 15 promocional*

Inspirado no universo de William Shakespeare, o espetáculo é uma sublime e merecida homenagem ao maior dramaturgo inglês de todos os tempos. Com direção artística de Carlota Albuquerque, reconhecida coreógrafa, a montagem aborda o universo de Shakespeare com breves diálogos que tratam de maneira singular das conflituosas e intensas relações de amor e poder – que, provavelmente, para sempre se manterão atuais – através de coreografias inspiradas na poética das danças urbanas, exaustivamente trabalhadas pelos bailarinos do Canoas Coletivo de Dança.

 

Em Nome do Pai (PE)

Dias 16 e 17 de setembro / 20h / Teatro do Sesc

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional*

A convivência entre pai e filho após a morte da esposa e mãe que os unia é o drama (bastante próximo da realidade de algumas famílias) apresentado no Porto Alegre Em Cena pela Rec Produtores Associados. Conhecida produtora das áreas publicitárias e cinematográfica, no segmento das artes cênicas fez desse conflito seu novo espetáculo, encenado pelos atores pernambucanos Samuel Lira e Jorge de Paula. O texto do dramaturgo e diretor teatral do mineiro Alcione Araújo, falecido em 2012, leva pai e filho a abrir gavetas sentimentais e vasculhar o passado, remexer as lembranças e, sobretudo, aprender a perdoar. Em Nome do Pai é a montagem que inaugura a atuação da atriz Cira Ramos como encenadora.

 

Morte Acidental de Um Anarquista (SP)

Dias 17 e 18 de setembro / sábado, às 21h e domingo, às 18h / Theatro São Pedro

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional*

A irreverente comédia do dramaturgo italiano Dario Fo orbita em torno de um louco (Dan Stulbach), cuja doença é interpretar pessoas reais e é detido por falsa identidade. Na delegacia, se passa por um falso juiz na investigação do misterioso caso da morte de um anarquista. A polícia afirma que ele teria se jogado pela janela do quarto andar. A imprensa e a população acreditam que foi jogado. Fo partiu de um caso verídico: o “suicídio” de um anarquista em Milão, em 1969. Morte Acidental ainda é atual, 45 anos depois de escrita. “O que fizemos foi tirar as referências que só faziam sentido para os italianos e a realidade em que viviam nos anos 70. A fábula, a história na nossa montagem está intacta. O próprio Fo a cada remontagem da peça fazia modificações”, diz Hugo Coelho, diretor da peça.

 

Homenagem a Adriana Marques (RS)

Dia 17 de setembro / 21h / Teatro Renascença

Entrada franca (retirada de senha no dia da apresentação, a partir das 20h, no local)

Homenagem póstuma à cantora Adriana Marques que completaria 50 anos em junho de 2016. O espetáculo tem participação dos amigos que fizeram parte de sua trajetória reunindo trabalhos que marcaram sua carreira, como Grupo Tocaia, Bando Barato Prá Cachorro, Cuidado Que Mancha, Serenata de Bambas e Rádio Esmeralda.

 

Travessia – Uma Comédia Trágica (RS)

Dias 17 e 18 de setembro / 18h / Teatro Bruno Kiefer

Ingressos: R$ 30 inteiro / R$ 15 promocional*

O espetáculo, assinado pelo diretor e dramaturgo italiano Adriano Iurissevich, apresenta o contexto das migrações, juntando dramaturgia contemporânea e Commedia dell’Arte. No palco, um estrangeiro – movido pela fome e pelo desejo de encontrar seu lugar ao sol – expõe os inesperados conflitos intrínsecos à travessia por terras desconhecidas, quando é obrigado a assumir mudanças e encarar certas transformações, numa profunda e intensa aventura cultural e psicológica. Recheada de poesia, ironia e divertimento, a peça traz à tona questões universais em torno do imigrante, propondo uma reflexão sobre a condição do ser humano enquanto habitante do mundo, reconhecendo e atravessando não apenas as fronteiras físicas e territoriais, mas, principalmente, a dos valores da vida.

 

Dança do tempo (RS)

Dias 17 e 18 de setembro / 19h / Travessa dos Cataventos

Entrada franca

O espetáculo marca um novo momento do grupo Usina do Trabalho do Ator (UTA), que, ao longo de seus 24 anos de existência, desenvolve trabalhos que se alicerçam em dois eixos principais: a Pedagogia Teatral e a criação de espetáculos. A cada apresentação, novas pessoas são convidadas a experienciar a preparação de uma performance teatral, tendo a rua como palco. A vocação pedagógica dos atores fica evidente quando compartilham aprendizados e ensinamentos com pessoas do público que acabam por contar junto a história da peça.

 

Verde (in)tenso (RS)

Dias 18 e 19 de setembro / 21h / Teatro Renascença

Ingressos: R$ 30 inteiro / R$ 15 promocional*

A obra coreográfica da GEDA Cia de Dança Contemporânea – vastamente premiado grupo com mais de 35 anos de trajetória artística do Rio Grande do Sul – é baseada em pesquisa gestual do homem do pampa gaúcho, explorando toda sua gênese. Focado em movimentos temperados pelos verdes do campo que emolduram a vivência dos habitantes do Sul do país, inclusive na região urbana, são apresentadas coreografias híbridas, fortemente intrincadas pelas tensões, golpes dos ventos minuanos, imperceptíveis, que produzem um novo movimento nos gaúchos de hoje. O espetáculo é uma espécie de recorte da personalidade pampeana, tanto antropológica como territorial, na contemporaneidade.

 

Cerimônia Panvel: Pós Você e Eu, com Lívia e Arthur Nestrovski (SP)

Dia 19 de setembro / 21h / Theatro São Pedro

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional*

Depois de um ano e meio fazendo shows pelo Brasil e Portugal, Lívia e Arthur Nestrovski lançam o CD Pós Você e Eu. Esse título vem de uma canção inédita, de Arthur com Luiz Tatit, e agora parece premonitório da relação da cantora com o violonista e compositor. O que se vê nesse trabalho é uma parceria que revela a cumplicidade total de pai e filha, de quem se conhece desde sempre, e ao mesmo tempo transcende os laços de família na dimensão da arte – uma arte da canção, praticada por eles com muito amor, muito rigor e alguma dose de humor. No repertório, parcerias com Luiz Tatit e com o poeta Eucanaã Ferraz, clássicos brasileiros, standards americanos e canções de Schubert e Schumann (na versão de Nestrovski). Por trás de tudo está a reafirmada crença na relação entre poesia e música na canção brasileira, e seu papel para o cenário cultural mais amplo, desde os primórdios do século passado.

 

Grãos da Imagem: Vaga Carne (MG)

Dias 19, 20 e 21 de setembro / 19h / Sala Álvaro Moreyra

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional*

O espetáculo é um solo com texto inédito de Grace Passô, diretora, dramaturga e atriz, que expõe a saga de um corpo de mulher com urgência de discurso, à procura de suas identidades e pertencimento. Vaga Carne é o primeiro espetáculo do projeto Grãos da Imagem, que junta montagens em torno da identidade, cujo objetivo é reunir trabalhos que partam da mesma premissa. Na peça, uma voz errante, capaz de invadir qualquer matéria sólida, líquida ou gasosa, resolve, pela primeira vez, invadir um corpo humano e, a partir desta experiência, traça uma jornada de autorreconhecimento narrando o que sente, o que finge sentir, o que é insondável em si, o que sua imagem é para o outro que vê e o que significa seu corpo enquanto construção social. A peça faz um enorme sucesso com a crítica especializada e público desde sua estreia.

 

Inútil a Chuva (RJ)

Dias 19 e 20 de setembro / 21h / Teatro da Santa Casa

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional*

A montagem do Armazém Cia. de Teatro trata dos conflitos de uma família nada funcional, que tenta desvendar os motivos do desaparecimento do patriarca. Apesar das aparências de que tudo continua bem, os familiares, na busca pela elaboração do ocorrido, navegam por caminhos obscuros. A dramaturgia original, criada por Paulo de Moraes em parceria com Jopa Moraes, seu filho, tem como tema os encontros e tudo o que permeia o assunto, as maneiras como as pessoas se relacionam e suas reações, repletas de dúvidas e também de certezas. O espetáculo é cheio de ironias e representações metafóricas, formando um vasto terreno psicológico que cabe ao espectador simbolizar.

 

Processo de Conscerto do Desejo (RJ)

Dias 19, 20 e 21 de setembro / 20h / Teatro do Sesc

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional*

Sucesso de crítica e público desde sua estreia em 2015, o espetáculo de Matheus Nachtergaele, ator e diretor de grande destaque na cena contemporânea, é uma delicada homenagem à sua mãe, a poeta Maria Cecília Nachtergaele, falecida em 1968, quando Matheus tinha apenas três meses de vida. Processo de Conscerto do Desejo, com esta grafia híbrida, sugere a fusão vertiginosa de concerto – já que traz ao palco maduros e consistentes poemas de autoria de Maria Cecília, bem como canções apreciadas por ela – e conserto – já que o espetáculo é construído por Matheus. O ator é acompanhado pelos músicos Luã Belik (violão) e Henrique Rohrmann (violino). Na montagem, busca ressignificar seus sentimentos através da comunhão estabelecida com a plateia, num emocionante, profundo e catártico espetáculo.

 

A Reunificação das Duas Coreias (RJ)

Dias 20 e 21 de setembro / 21h / Theatro São Pedro

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional*

Com direção de João Fonseca, um dos mais ativos e aclamados diretores do teatro brasileiro, o premiado texto do dramaturgo francês Joël Pommerat fala de maneira pouco convencional sobre o amor em suas diversas formas e manifestações. No palco, os atores Leticia Isnard, Bianca Byington, Solange Badim, Marcelo Valle, Gustavo Machado, Verônica Debom e Reiner Tenente revezam-se em 47 diferentes personagens, protagonizando as 18 histórias que mostram o que há de mais cômico, trágico e dramático nas relações afetivas.

 

Palavras e Sonhos, com Luiz Tatit (SP)

Dia 20 de setembro / 21h / Teatro Renascença

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional*

Mantendo a tradição do “canto falado”, Luiz Tatit mostra seu novo CD, Palavras e Sonhos, em Porto Alegre. Neste sexto álbum, Tatit faz suas odes às mulheres, principalmente, unindo o mundo feminino à arte da criação musical, ao processo de escrita e ao desafio da escolha de cada palavra cantada. Entre as novidades nas 13 faixas há parcerias com Arthur Nestrovski, Marcelo Jeneci, Emerson Leal, Vanessa Bumagny, Dante Ozzetti e Zé Miguel Wisnik.

 

São Manuel Bueno, Mártir (SP)

Dias 20 e 21 de setembro / 20h / Centro de Eventos do Barra Shopping Sul

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional*

O espetáculo é a primeira encenação do texto escrito em 1930, considerado o melhor romance de Miguel de Unamuno – poeta, filósofo e escritor – reconhecido pelos sucessivos ataques à monarquia da Espanha. A peça conta a história de Dom Manuel, um padre que duvida da vida após a morte e da existência de Deus. A montagem realizada pelo Grupo Sobrevento – um dos principais grupos brasileiros e um dos maiores especialistas no teatro de animação, que desde 1986 desenvolve ininterruptamente espetáculos primorosos – e pouco ortodoxa: acontece em uma arena ocupada por uma mesa redonda, que representa o mundo, e no centro dela, bonecos de madeira – confeccionados pelo escultor Mandy. São pelo menos 30 bonecos representando as personagens da trama e o povo da pequena cidade onde se desenrola a história. A trilha sonora do espetáculo é realizada ao vivo e foi criada especialmente pelo pernambucano Henrique Annes.

 

Moscas (RS)

Dias 20 e 21 de setembro / 19h / Cabaret

Ingressos: R$ 30 inteiro / R$ 15 promocional*

Do parto ao enterro, o espetáculo de estreia do grupo Fiasco – coletivo de experimentos cênicos idealizado por Gabriela Poester e Helle Rossing – celebra fragmentos da vida, através de uma vivência coletiva teatral em uma casa habitada por personagens que representam diferentes papéis sociais. O público testemunha o desenrolar das cenas como se observasse pelos olhos de uma mosca, tornando a experiência singular e interativa. A montagem apresenta críticas à sociedade de aparências, à superficialidade e formalidade das relações, levando os espectadores a se movimentar pelo espaço e vivenciar as situações junto aos atores, em meio a brincadeiras e improvisações, numa atmosfera bastante criativa e inusitada.

 

Todo dia a gente pensa que dorme, com Muni, Simone Rasslan e Kiti Santos (RS)

Dia 21 de setembro / 21h / Teatro Renascença

Ingressos: R$ 40 inteiro / R$ 20 promocional*

Com direção de Luciana Éboli, três conceituadas cantoras-atrizes-instrumentistas – Muni, Simone Rasslan e Kiti Santos – apresentam um espetáculo poético-musical que versa sobre os contrastes e dualidades do fazer-se presente. Brincando com as múltiplas possibilidades de ritmos e interpretações para canções de José Miguel Wisnik, Nico Nicolaiewsky, Tom Zé e Chico Buarque, por exemplo, elas tornam possível, através da representação e da musicalidade, transitar entre a presença e a ausência, a realidade e a ilusão, a alucinação e a lucidez, indo do concreto ao abstrato numa espécie de presença híbrida. As talentosas artistas trazem à cena questionamentos e sensações acerca do jogo e da ilusão e evocam as provocações de Antônio Abujamra ao afirmar que “inaugurar um teatro é criar uma ilha de liberdade e lucidez”.

 

Abobrinhas Recheadas – O Jogo – Edição Dance a Letra (RS)

Dias 21 e 22 de setembro / 18h / Teatro Bruno Kiefer

Ingressos: R$ 30 inteiro / R$ 15 promocional*

O espetáculo da Macarenando Dance Concept – companhia que desenvolve sua pesquisa e investe na dança como principal linguagem criativa – é o primeiro Stand-Up Dance Comedy do Estado e apresenta as possíveis relações da linguagem da dança com o gênero comédia, permitindo a exploração da comicidade cênico-coreográfica e possibilitando diferentes formas de questionamento do corpo. Inspirado no conceito e no formato do Stand-Up Comedy, a montagem faz investigação poética e uso cênico de coreografias que são criadas a partir da pesquisa de gestos literais de letras de músicas populares, que vão de Chico Buarque a Mamonas Assassinas, passando por sucessos locais como Amigo Punk e Porto Alegre é Demais.

 

O ano em que sonhamos perigosamente (PE)

Dias 22 e 23 de setembro / 19h / Sala Álvaro Moreyra

Ingressos: R$ 20 inteiro / R$ 10 promocional*

O oitavo trabalho do Magiluth – um dos principais grupos de teatro do país, que vem desenvolvendo constante e consistente trabalho de pesquisa e experimentação teatral desde sua fundação em 2004 – traz à cena reflexões baseadas em obras cinematográficas do grego Yorgos Lanthimos e pensamentos de Slavoj Žižek e Gilles Deleuze. O espetáculo é aberto a múltiplas interpretações por parte do público, é um ensaio de resistência ético, estético e político, uma soma da trajetória do grupo com o momento atual brasileiro, abordando questões como política, movimentos sociais, ocupações e a natureza das coisas. A montagem, de extremo aprofundamento estético e poético, não traz certezas ou regras rígidas, apenas a incerteza como parte crucial do espírito do momento.

 

Ópera Rock – A saga de um homem comum (RS)

Dias 23 e 24 de setembro / 21h / Teatro da Santa Casa

Ingressos: R$ 30 inteiro / R$ 15 promocional*

O espetáculo da banda Capitão Rodrigo pode ser considerado uma releitura moderna do controverso capitão, contando – e cantando – a vida e a morte de Pompeu Homero, um inocente jovem de classe média. Uma sátira da sociedade contemporânea e da opressão sobre o indivíduo, a montagem aborda de forma criativa e humorada as distorções das instituições, as injustiças sociais, a descrença nos políticos, os valores impostos pela mídia, a opção por soluções violentas e a incógnita quanto ao acerto das escolhas.

 

Caminham nus empoeirados (SP)

Dias 22 e 23 de setembro / 20h / Teatro do Sesc

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional*

O espetáculo do artista cearense Gero Camilo – ator, dramaturgo e codiretor – é uma crítica social sobre sobrevivência, amor e companheirismo, cujo enredo gira em torno de artistas anônimos populares. A peça – do grupo Tertúlia, recém-criado pelos artistas Gero, Victor Mendes e a produtora Flávia Corrêa, tem inspiração em um conto homônimo de autoria de Camilo – é, acima de tudo, uma ode às artes dramáticas. Uma comédia afinada, capaz de guiar o público por percursos de encontros e desencontros, inclusive culturais, já que a montagem tem codireção da portuguesa Luísa Pinto. Caminham nus empoeirados estreou no Festival Cena Contemporânea de Matosinhos – Portugal, em 2015, e seguiu com temporadas no Brasil, sempre com grande sucesso.

 

Só (SP)

Dias 22 e 23 de setembro / 20h / Centro de Eventos do Barra Shopping Sul

Ingressos: R$ 20 inteiro / R$ 10 promocional*

O envolvente espetáculo do Grupo Sobrevento aborda a solidão de forma delicada e, ao mesmo tempo, contundente, através das vulnerabilidades e sonhos de pessoas que buscam algo que nunca poderão alcançar. Com temática adulta e atmosfera onírica, a montagem comemora os trinta anos aos quais o grupo dedica-se à maciça pesquisa em teatro de animação voltado para adultos. Sob impecável direção de Luiz André Cherubini e Sandra Vargas, os atores-criadores, Maurício Santana, Sueli Andrade, Daniel Viana, Liana Yuri e Sandra Vargas interpretam as cinco personagens que transformam objetos como cadeiras em miniatura e pequenos aviões em elementos poéticos e metafóricos, dando vida à situações distintas e não sequenciais, que terminam por encontrar-se em suas solidões particulares. O espetáculo faz parte da programação graças ao apoio do prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz – 2015.

 

Os Realistas (RJ)

Dias 23, 24 e 25 de setembro / sexta e sábado, às 21h e domingo, às 18h / Theatro São Pedro

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional*

A peça do escritor Will Eno, considerado um Samuel Beckett contemporâneo, encantou a consagrada atriz e produtora Debora Bloch, que escolheu o texto para comemorar seus 35 anos de carreira. Debora, que já acompanhava e estudava a trajetória do autor, firmou parceria com o ator e diretor Guilherme Weber, o mais profíquo intérprete de Will Eno no mundo, para fazer a montagem do espetáculo. No palco, os experientes atores Debora Bloch, Fernando Eiras, Mariana Lima e o diretor Guilherme Weber vivem dois casais vizinhos que descobrem ter mais em comum do que suas casas idênticas e seus sobrenomes iguais, compartilhando com o espectador um misto de complexas sensações.

 

Saudade de mim (RJ)

Dias 23, 24 e 25 de setembro / sexta e sábado, às 21h e domingo, às 18h / Teatro Renascença

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional*

O mais recente espetáculo do diretor e coreógrafo Alex Neoral será uma das grandes atrações do Em Cena neste ano, em três apresentações na Capital. Com a Focus Cia de Dança, em Saudade de mim, Neoral transita por novos territórios, criando um roteiro que integra obras de Chico Buarque e Cândido Portinari. Ao longo da narrativa feita por canções como Olha Maria, Trocando em Miúdos e Valsinha, na voz de Chico, surgem formas de pinturas como O espantalho, Casamento na roça e O mestiço de Portinari. A cenografia é feita por movimentos que intercalam sutiliza e força, resultando em um espetáculo de dança contemporânea que joga com o onírico e o real, em uma história de dores, amores, triângulos amorosos e relações familiares.

 

Cadarço de sapato ou ninguém está acima da redenção (RS)

Dias 24 e 25 de setembro / 19h / Sala Álvaro Moreyra

Ingressos: R$ 30 inteiro / R$ 15 promocional*

Inspirado na dramaturgia da inglesa Sarah Kane, a peça da Cia Teatrofídico – que desde 2003 desenvolve permanentemente pesquisa e aprimoramento de linguagem cênica e consciência coletiva – propõe um diálogo fragmentado e confessional, em que seres perdidos tateiam em direção à luz. Amor, desespero, morte, ânsia, violência e uma certa dose de tristeza dão o tom da encenação, que propõe uma atuação performática dos atores e não revela personagens em si, mas situações e emoções num jogo de desconstrução e anticlímax. Híbrido em suas intenções, o espetáculo mescla universos e dialoga com o contemporâneo.

 

BiT (FRA)

Dias 24 e 25 de setembro / 21h / Teatro do Sesi

Ingressos: R$ 80 inteiro / R$ 40 promocional*

BiT, o tão aguardado espetáculo da companhia francesa de dança de Maguy Marin, orgulhosamente estreia sua turnê brasileira em Porto Alegre, sendo considerado pela crítica internacional como uma verdadeira e emocionante obra de arte. Sob a influência da batida inebriante da música eletrônica, a criativa montagem apresenta coreografias pulsantes e cheias de significados, desvelando facetas do comportamento humano através do movimento e do magnetismo dos corpos. A interação entre os bailarinos acontece a partir de suas mãos, representando os pontos de contato e as formas como as pessoas se relacionam no mundo hiperconectado de hoje, despertando emoções surpreendentes à plateia. Maguy Marin, bailarina e coreógrafa com mais de 40 anos de trajetória, é referência internacional em dança contemporânea, tendo recebido diversos prêmios e honrarias por suas obras nada óbvias e incontestavelmente capazes de levar o público a sensações profundas e inusitadas.

 

11o Prêmio Braskem

Dia 26 de setembro / 20h / Theatro São Pedro

Somente para convidados

A cerimônia de entrega do 11º Prêmio Braskem em Cena, evento integrante da programação do 23º Porto Alegre em Cena e que já é considerado um dos mais importantes troféus concedidos a artistas da cidade, este ano conta com a apresentação do show Do Limão, a Limonada, abrilhantando e trazendo leveza para este momento tão especial. Através de algumas canções sensivelmente escolhidas a seis mãos, as cantoras e instrumentistas Kiti Santos e Simone Rasslan, com a direção singular de Liane Venturella, homenageiam a amizade. Ambas cantam trançando suas vozes em arranjos de músicas de autores como José Miguel Wisnik, Luiz Tatit, Marcelo Delacroix, Nico Nicolaiewsky, Paulinho da Viola e também algumas canções originais compostas especialmente para esse espetáculo.

 

ATIVIDADES PARALELAS

 

Psicanalítica em Cena

Dias 14, 16, 22 e 23 de setembro / após as peças Agora eu vou ficar bonita, Em Nome do Pai, Caminham nus empoeirados e Só

Atividade válida para quem adquiriu ingressos para os espetáculos que participam do ciclo

O ciclo Psicanalítica em Cena, em sua quinta edição, reúne diretores e atores participantes do Porto Alegre Em Cena com profissionais da Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA). A atividade promove diálogos após quatro espetáculos selecionados do festival e visa recolher impressões e experiências causadas pelas obras com reflexões que possibilitem acomodar (ou, muitas vezes, desacomodar) o impacto de assistir às peças. Neste ano, as conversas ocorrerão dia 14 de setembro, ao final da peça Agora eu vou ficar bonita; dia 16, após Em Nome do Pai; dia 22, depois de Caminham nus empoeirados; e dia 23, após Só.

 

Oficinas e workshops

Dias 14, 21, 22, 23 e 24 de setembro / diversos horários e locais

Somente para inscritos

Workshops gratuitos com Eduardo Moreira (Grupo Galpão, dia 14 de setembro), Sandra Vargas (Grupo Sobrevento, dias 21 e 22), Alex Neoral (Focus Cia. de Dança, dia 24 de setembro) e Lucas Torres e Erivaldo Oliveira (Grupo Magiluth, dia 23 de setembro). O período para as inscrições terminou em 2 de setembro.

 

23o PORTO ALEGRE EM CENA

De 13 a 26 de setembro

 

LOCAIS

Theatro São Pedro (Praça Mal. Deodoro – Centro)

Teatro Renascença (Av. Érico Verissimo, 307 – Azenha)

Sala Álvaro Moreyra (Av. Érico Verissimo, 307 – Azenha)

Teatro da Santa Casa – Centro Histórico-Cultural Santa Casa (Av. Independência, 75 – Independência)

Teatro do Sesc (Av. Alberto Bins, 665 – Centro)

Teatro Bruno Kiefer – Casa de Cultura Mário Quintana (Rua dos Andradas, 736 – Centro)

Teatro Carlos Carvalho – Casa de Cultura Mário Quintana (Rua dos Andradas, 736 – Centro)

Centro de Eventos Barra Shopping Sul (Av. Diário de Notícias, 300 – Cristal)

Auditório do Goethe-Institut (Av. 24 de Outubro, 112 – Independência)

Teatro do Sesi (Av. Assis Brasil, 8787 – Sarandi)

Cabaret (Rua 7 de Setembro, 708 – Centro)

Boteco do Paulista (Rua Riachuelo, 230 – Centro)

Travessa dos Cataventos – Casa de Cultura Mário Quintana (Rua dos Andradas, 736 – Centro)

 

Vendas de ingressos

Site: www.ingressospoaemcena.com.br

Telefone: (51) 3030.1500 (ramal 512): de segunda a sexta, das 9 às 18h

Loja Myticket do Moinhos de Vento (Rua Padre Chagas, 327, loja 6): de segunda a sexta, das 9h às 18h; e sábados, das 10h às 15h

Quando houver disponibilidade de ingressos no dia do espetáculo, estes serão vendidos uma hora antes do início da apresentação, diretamente no local, para compras apenas em dinheiro.

 

Formas de pagamento
Na loja My Ticket: dinheiro, Visa e Master (crédito e débito) – em uma parcela.

Internet: Visa, Master e Dinners – em até três parcela (com taxa de conveniência de 20% sobre o valor da compra). A entrega dos ingressos será feita por e-mail até 30 minutos após a finalização da compra.

 

*Desconto promocional de 50% válido por CPF para

– Estudantes, professores e classe artística (1 ingresso)*****
– Pessoas com deficiência (1 ingresso)****
– Pessoas com mais de 60 anos (1 ingresso)
– Clube do Assinante ZH (até 2 ingressos)**
– Clientes do Cartão Petrobras (até 2 ingressos)**
– Força de trabalho da Petrobras (até 2 ingressos)*
– Clientes da Panvel (1 ingresso)**
– Comerciários SESC (1 Ingresso)***
– Funcionários da Prefeitura Municipal de Porto Alegre (1 ingresso)*
– Funcionários da Braskem (1 ingresso)*

– Funcionários do sistema FIERGS (1 ingresso)*

 

*mediante apresentação do crachá
**mediante apresentação do cartão
*** mediante apresentação da carteira do SESC
****mediante documento ou laudo comprobatório

******meia-entrada para estudantes: em conformidade com a lei 14.612 é necessária apresentação de Carteira de Identificação Estudantil, bem como documento de identidade.

 

 

 

También, considere “http://kamagraoraljelly.me/es/” o Comprar Kamagra Oral Jelly. Muchos posiblemente piensan que la eficacia de Kamagra está bien documentada. No tome más de Kamagra o cualquier otro medicamento que el recomendado. El profesional de la saludos cordiales tiene que resolver el problema qué dosis es la más adecuada. Si el medicamento se usa según sea necesario, es poco probable que esté en un programa de dosificación.