anaguerra@mundocult.com.br

Notícias

MÁRCIA TIBURI É CONVIDADA DO CICLO DE DEBATES "ÓDIO SEM FIO"


 

Na próxima terça-feira, 23 de janeiro, a partir das 19h30, a Fundação Iberê Camargo realiza a primeira roda de conversa do ciclo Ódio Sem Fio, com a participação da filósofa Marcia Tiburi. Autora, entre outros, do livro Como Conversar com um fascista – Reflexões sobre o Cotidiano Autoritário Brasileiro (Record, 2015), Marcia vai abordar o tema Fascistas, racistas, haters e outros bichos da internet, em que investiga as novas formas de ódio disseminado pelas redes sociais. A entrada é franca, com inscrições prévias pelo link http://bit.ly/2mxaiK3. As vagas são limitadas.

Com curadoria do publicitário Marco Antonio Boa Nova Valério, o ciclo Ódio Sem Fio será realizado mensalmente ao longo de 2018, trazendo pensadores e pensadoras de diferentes áreas para fomentar a discussão em torno da polarização ideológica extrema que vem marcando a vida política no País.

Marcia Tiburi é professora doutora em Filosofia e seus principais temas de pesquisa são ética, estética, filosofia do conhecimento e feminismo. É autora de diversos livros sobre filosofia e também de ficção, além de atuar como colaboradora de diversos jornais e revistas especializadas. Dentre suas publicações estão: As Mulheres e a Filosofia (Ed. Unisinos, 2002), Filosofia Cinza – a melancolia e o corpo nas dobras da escrita (Escritos, 2004); Mulheres, Filosofia ou Coisas do Gênero (EDUNISC, 2008), Filosofia em Comum (Ed. Record, 2008), Filosofia Brincante (Record, 2010), Olho de Vidro (Record 2011), Filosofia Pop (Ed. Bregantini, 2011), Sociedade Fissurada (Record, 2013), Filosofia Prática, ética, vida cotidiana, vida virtual (Record, 2014). Publicou também romances, como Magnólia (2005), A Mulher de Costas (2006) e O Manto (2009) e Era meu esse Rosto (Record, 2012).

Marco Antônio Valério atuou como repórter (Zero Hora), redator e diretor de criação (Standard, Ogilvy&Mather e McCann-Erickson) e como sócio-diretor da MAP/COM. Criou o Ciclo "Filhos Criados", realizado em 2004 e 2005, no auditório da Livraria Cultura (Shopping Bourbon Country). Organizou a coletânea de ensaios "Umbigo é nosso rei? – Considerações sobre o individualismo dos brasileiros" da qual participaram autores, como Affonso Romano de Santana, Luiz Antônio de Assis Brasil, Moacyr Scliar, Martha Medeiros, Fabrício Carpinejar, David Coimbra, dentre outros. Nos últimos anos, tem se dedicado à produção de conteúdo para multimeios.



Ciclo Ódio Sem Fio - Fascistas, racistas, haters e outros bichos da internet, com Márcia Tiburi

Dia 23 de janeiro, das 19:30h às 21:30h, na Fundação Iberê Camargo

Local: Átrio

Entrada franca com inscrição prévia no link: http://bit.ly/2mxaiK3. Capacidade: 100 pessoas. Acomodação por ordem de chegada.

Endereço: Avenida Padre Cacique, 2000

Estacionamento no subsolo, administrado pela Safe Park

Transporte: As linhas regulares de lotação que vão até a Zona Sul de Porto Alegre param em frente ao prédio, assim como as linhas de ônibus Serraria 179 e Serraria 179.5. É possível tomá-las a partir do centro da cidade ou em frente ao shopping Praia de Belas. O retorno pode ser feito a partir do Barra Shopping Sul, por onde passam diversas linhas de ônibus com destino a outros pontos da cidade.

Site: www.iberecamargo.org.br

Fanpage: www.facebook.com/fundacaoiberecamargo

Instagram: @ f_iberecamargo

Visita virtual Google Artes & Culture - https://goo.gl/wYr75v

 

Sobre a Fundação Iberê Camargo
A Fundação Iberê Camargo é uma instituição privada sem fins lucrativos, criada em 1995, a partir de um desejo do próprio artista e sua esposa, Maria Coussirat Camargo, e com o apoio de amigos e empresários de Porto Alegre. Sua missão é preservar o acervo, promover o estudo, a divulgação da obra de Iberê Camargo e estimular a interação de seu público com arte, cultura e educação, por meio de programas interdisciplinares, além de fomentar o pensamento crítico e a discussão de temas que versem direta ou indiretamente sobre a arte moderna e contemporânea.

Há 22 anos, a Fundação desenvolve extensa programação cultural e educativa, sendo um dos equipamentos culturais mais relevantes na cidade de Porto Alegre, no Estado do Rio Grande do Sul e no Brasil. Dessa forma, a Fundação Iberê Camargo apoia, incentiva e garante o acesso universal às diversas formas de expressão artística, respeitando valores tais como a igualdade, a ética e a diversidade.

O acervo da Fundação é formado por um núcleo documental, composto de documentos e imagens relacionadas à vida e à obra do artista, e um núcleo com a coleção Maria Coussirat Camargo, que inclui pinturas, gravuras, guaches, desenhos e estudos de Iberê Camargo, obras que o casal acumulou durante a vida.

A sede da instituição, inaugurada em 2008, foi projetada pelo português Álvaro Siza, um dos arquitetos contemporâneos mais importantes do mundo. O projeto recebeu o Leão de Ouro da Bienal de Arquitetura de Veneza (2002) e é mérito especial da Trienal de Design de Milão.

Referência arquitetônica na cidade de Porto Alegre, o prédio possui salas expositivas, átrio, reserva técnica, centro de documentação e pesquisa, ateliê de gravura, ateliê do educativo, auditório, loja, cafeteria, estacionamento e parque ambiental projetado pela Fundação Gaia.

Iberê Camargo

[Restinga Seca, 1914 – Porto Alegre, 1994] - Iberê Camargo é um dos grandes nomes da arte brasileira do século 20. Autor de uma extensa obra, que inclui pinturas, desenhos, guaches e gravuras, Iberê nunca se filiou a correntes ou movimentos, mas exerceu forte liderança no meio artístico e intelectual brasileiro. Dentre as diferentes facetas de sua vasta produção, o artista desenvolveu as conhecidas séries Carretéis, Ciclistas e As idiotas, que marcaram sua trajetória. Grande parte de sua produção, estimada em mais de sete mil obras, compõe hoje o acervo da Fundação Iberê Camargo.

 

 

 

Veja Também