anaguerra@mundocult.com.br

Notícias

GEDA ESTREIA NOVA MONTAGEM NO THEATRO SÃO PEDRO EM 25 DE SETEMBRO

 

Uma das companhias de dança contemporânea mais longeva e atuante do Rio Grande do Sul, a GEDA Cia. De Dança comemora seus 35 anos de ininterrupta atividade artística com o lançamento do projeto "De Lá Prá Cá", que abrange a estreia da obra inédita, "Às vezes, eu Kahlo", e a volta do elogiado espetáculo "Verde (In)Tenso", ambos com a assinatura da premiada diretora e coreógrafa Maria Waleska van Helden. O programa duplo ocorre no Palco Principal do Theatro São Pedro, no próximo dia 25 de setembro, terça-feira, às 20h. Os ingressos já estão à venda na bilheteria do teatro (Confira o Serviço).

Frida Kahlo, como ficou conhecida, Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderon (Coyoacán, 1907-1954), foi uma das mais importantes figuras da arte no século XX e uma das personagens mais significativas no âmbito político e cultural no México. Sua saúde frágil devido aos muitos traumas sofridos, o conturbado casamento com o pintor Diego Rivera, a impossibilidade de gerar filhos, sua atuação social, seus relacionamentos amorosos, se refletem em sua vigorosa pintura, tornando-a uma mulher controversa e referencial. Este universo rico de possibilidades serve de inspiração para o espetáculo, "À Vezes, eu Kahlo". Concebido e dirigido pela coreógrafa Maria Waleska van Helden, a montagem tem como protagonista a bailarina-intérprete, Graziela Silveira.

Partindo da imobilidade de Frida Kahlo, colhendo gestos contemporâneos, "Às vezes, eu Kahlo" tem foco no período em que Frida foi compulsoriamente paralisada em sua cama pelo grave acidente que sofreu, tornando-se uma mulher ágil, criativa, determinada a prosseguir em sua trajetória. Frida constrói uma personalidade admirada e icônica em nosso século. O espetáculo de dança contemporânea intenciona incorporar e traduzir, ao extremo, as cores e dores de Frida e toda a sua "imobilidade móvel" emoldurada pela própria inquietação.

Conforme Maria Waleska,"a montagem tem como ponto de partida um aspecto não tanto explorado dentro desta avalanche de produtos comercializados, como canecas, camisetas e outros objetos, trazendo a imagem desta mulher”, e observa: "Frida é revelada nesta obra pela intensa resiliência e submissão ao amor de Diego Rivera. A soma das dores, o acúmulo das amputações, as transgressões emocionais e o prazer físico, perpassam pelo filtro de pequenos lutos que fazem o alicerce desta personagem transformando-a em mulher revolucionária".

 

Verde

O segundo programa da noite é Verde (In)Tenso, espetáculo vencedor do Prêmio Klauss Vianna 2016. A obra explora a gênese do gaúcho e contempla os diversos cenários que constituem o Estado. Na coreografia, os bailarinos traduzem as paisagens dos verdes pampas, a velocidade dos ventos e as vastas planícies, tão próprios do Rio Grande do Sul, em uma sequência de movimentos que expressam a identidade do gaúcho. Para van Helden “Verde (In)Tenso determina a intensidade do nosso gesto, da nossa gente”. No elenco, estão Carini Pereira, Consuelo Vallandro, Georgia Macedo, Graziela Silveira, Miguel Sisto, Priya Konrad e Sahaj. Convidados: Clarissa Gomes e Lucas Dorneles Magnus.

Classificação etária: 12 anos

Duração: 50 minutos

Vídeo do espetáculo “Verde (In)Tenso”: https://www.youtube.com/watch?v=W1VJTa22a0A

 

Sobre a GEDA

A GEDA Cia. de Dança Contemporânea foi fundada em 1983 pela coreógrafa Maria Waleska van Helden e teve marcante atuação, inicialmente, no Interior do Rio Grande do Sul, na Região da Fronteira-Oeste, divulgando este gênero de dança. Em 2000 a companhia estabeleceu-se em Porto Alegre, desenvolvendo um trabalho de dança contemporânea e dança-teatro. Entre suas premiadas montagens, que englobam interferências, performances e espetáculos, estão: Piscina (2002), Traição (2003), Idas e Vindas (2003), Pop (2006), Tic Tac (2006), Esconderijos do Tempo (2006), Corte (2009); Il faut trouver chaussure á son pied (2011); Projeto Altos e Baixos (2012) ; Cem Metros de Valsa e Um Grama (2011 - Prêmio Açorianos de Dança); Não me toque estou cheia de lágrimas - Sensações de Clarice Lispector (2012); Verde (In) Tenso (2016). Destacam-se, ainda, o projeto Todas as Estações em Movimento, formada pelas coreografias: Inverno (2007), Outono (2007), Primavera (2008) e Verão (Mar-Íntimo/2010). Ao longo deste período, a companhia contribuiu para a formação de várias gerações de bailarinos e realizou trocas significativas com outros diretores, tendo seu talento reconhecido em diversas capitais no Brasil, e no Exterior (Espanha, Cuba, Bélgica, Argentina).

 

Canais da companhia:

http://gedaciadedanca.blogspot.com

gedaciadedanca@gmail.com

 

Ficha Técnica “Às Vezes, eu Kahlo”

Ás vezes, eu Kahlo

Concepção, Coreografia e Direção Geral: Maria Waleska van Helden

Dramaturgia do Corpo: Denis Gosch

Técnica do Movimento: Luciana Dariano

Bailarina-intérprete: Graziela Silveira

Trilha Sonora Original e Operação de Som: Vitório O. Azevedo

Participação Especial: Giovanni Capeletti

Desenho e Operação de Luz: Carol Zimmer

Criação e Projeção de Vídeos: Fernando Muniz e Paula Pinheiro

Cenógrafo e Figurinista: Antonio Rabadan

Pesquisa: Maria Waleska van Helden e Consuelo Vallandro

Texto: Consuelo Vallandro

Fotografia: Sabrina van Helden

Voz em off: Arlete Cunha

Assessoria de Comunicação: Silvia Abreu Consultoria Integrada de Marketing

Produção Administrativa: Joice Rossato / Aresta Cultural

Produção Executiva: Ana Paula Reis / Bendita Cultura

Realização: Kapsula Produções Culturais

Agradecimentos: Equipe da Casa de Cultura Mario Quintana

 

Classificação 12 anos

Duração: 40 min

Teaser do espetáculo “Às Vezes, eu Kahlo”:

https://drive.google.com/file/d/1RaOJ5IovriGz6K21K8cWyP7cyht8MAxz/view

 

SERVIÇO:

Quem: GEDA Cia de Dança Contemporânea

O Quê: Estreia do projeto “De Lá Prá Cá”, com o seguinte programa: “Às vezes, eu Kahlo” (estreia) e “Verde (In)Tenso”

Quando: Dia 25 de setembro de 2018, terça-feira, 20h

Onde: Theatro São Pedro| Praça Marechal Deodoro, s/n° | Centro Histórico |Porto Alegre-RS

INGRESSOS

R$ 40,00 inteira

 

Descontos com comprovação:

50% para sócios AATSP

50% para idosos com idade igual ou superior a 60 anos;

50% para estudantes até 15 anos mediante RG;

50% para professores

50% para estudantes acima de 16 anos portando carteira da UGES, UEE, UNE;

50% para jovens entre 16 e 29 anos, pertencentes a famílias de baixa renda, mediante comprovação de matrícula CADÚNICO;

50% para pessoas com deficiência, inclusive seu acompanhante quando necessário;

50% para doadores de sangue;

50% para classe artística.

 

Valor promocional:

10,00 - Categoria Comércio e Serviços do Cartão Sesc/Senac

15,00 - Categoria Empresários com Cartão Sesc/Senac

 

Informamos que, conforme esta lei, o benefício de meia-entrada para estudantes só será concedido mediante a apresentação, no momento da aquisição do ingresso e na portaria do local de realização do evento, da Carteira de Identificação Estudantil (CIE), emitida pela Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), pela União Nacional dos Estudantes (UNE), pela União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), pelas entidades estaduais e municipais filiadas àquelas, pelos Diretórios Centrais dos Estudantes (DCEs) e pelos Centros e Diretórios Acadêmicos, com prazo de validade renovável a cada ano, conforme modelo único nacionalmente padronizado e publicamente disponibilizado pelas entidades nacionais antes referidas e pelo Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), com certificação digital deste, podendo a carteira de identificação estudantil ter 50% (cinquenta por cento) de características locais.

Em compras pelo call center ou internet, o documento deverá ser apresentado na retirada do ingresso e no acesso ao evento.

 

foto: Sabrina Canton

 

 

Veja Também