Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Postado em jun 17, 2015 em Cultura

Exposição celebra o centenário do Hotel Majestic

“Majestic: 100 Anos de História” é a exposição que pretende mostrar, de forma breve, a trajetória do prédio que se tornou um ícone da cidade de Porto Alegre, o Hotel Majestic, que em 2015 completa um século de vida. A edificação, considerada referência arquitetônica, comercial e cultural – além de poética, pela inefável presença de Mario Quintana – e que em 1990 se transformou na Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ) é promovida pelo Núcleo de Acervo e Memória, junto com o Núcleo de Exposições da instituição, podendo ser conferida de 19 de junho a 2 de julho, na Sala de Exposições Memorial Majestic, localizada no térreo da Ala Oeste.

O proprietário do terreno, Horácio de Carvalho, deu entrada no pedido de construção do prédio que seria o futuro Hotel Majestic em 1913, ganhando aprovação, pela Prefeitura, em 1915. O projeto foi elaborado pelo arquiteto Theo Wiederspahn, responsável por diversas obras na capital gaúcha e a construção teve início em 1916, pela empresa do Engenheiro Rudolf Ahrons. A proposta construtiva, bastante ousada para a época, inovou pelo uso de concreto armado – no qual foi pioneiro em Porto Alegre – e principalmente pela ideia de unir as edificações, erguidas em duas esquinas, através de passarelas que se projetavam sobre a então Rua Araújo Ribeiro (atual Travessa dos Cataventos), o que causou temor nas autoridades municipais.

A primeira parte, correspondente à Ala Oeste, foi concluída em 1918 e a Ala Leste, iniciada em 1926, foi inaugurada sete anos depois, em 1933. A edificação consolidou-se na paisagem urbana, destacando-se com seus sete pavimentos ao leste e cinco, no lado oeste. A combinação de elementos arquitetônicos realçou a grandiosidade da obra, tornando-a um marco da Capital, reconhecido e admirado internacionalmente, tanto por arquitetos renomados, quanto por seus visitantes. Destacam-se, também, os personagens que fizeram parte dessa trajetória. São eles: o empresário Horácio Carvalho, proprietário dos terrenos onde seria edificado o prédio; Theo Wiedersphan, seu arquiteto e construtor; os Irmãos Masgrau, que deram andamento às atividades hoteleiras do Majestic; e o poeta Mario Quintana, seu ilustre morador durante um período; além de outras personalidades, referências sociais importantes que fizeram parte desta trajetória.

O PROPRIETÁRIO | O idealizador da edificação que posteriormente se tornou o Hotel Majestic foi Horácio de Carvalho, nascido em 21 de agosto de 1860, na cidade do Alegrete, interior do Rio Grande do Sul. Empresário, ligado ao ramo de importação e exportação de gêneros alimentícios, chegou a ser conhecido na cidade como o “Rei do Açúcar”. Adquiriu diversas propriedades às margens do Guaíba, na região central de Porto Alegre, que se demonstraram locais aptos ao empreendimento que imaginava. Em função de suas atividades, viajava constantemente para outras capitais, tendo contato com diversas inovações arquitetônicas. Essa visão de mundo, aliada ao crescimento urbano de Porto Alegre, possibilitou sua percepção de que havia espaço para a construção, na cidade, de um prédio de dimensões significativas. Surgia dessa combinação a ideia para o prédio do atual Hotel Majestic. Horacio de Carvalho faleceu nas dependências do Hotel, onde estava morando, em 9 de novembro de 1938, aos 78 anos.
Construtor | Nascido em 19/02/1878, em Wiesbaden (Alemanha), o arquiteto Theodor Alexander Josef Wiederspahn veio para o Rio Grande do Sul em 1908, fixando residência em Porto Alegre. Logo empregou-se como responsável pelo Departamento de Projetos do Escritório de Engenharia Rudolf Ahrons. Foi o criador da primeira Escola de Artes e Ofícios (Gewerbeschule) e do primeiro Sindicato de Arquitetos e Construtores do Estado. Entre suas principais obras estão o Hotel Majestic, atual Casa de Cultura Mario Quintana; o Memorial do Rio Grande do Sul, antiga sede dos Correios; e a antiga Faculdade de Medicina da UFRGS. Projetou também armazéns na Rua Voluntários da Pátria, palacetes e residências. Durante a 2ª Guerra Mundial, sua origem germânica causou-lhe dificuldades profissionais, foi preso e acusado de germanismo, a despeito de ser brasileiro naturalizado. Retomou sua carreira no final do conflito, seguindo com vários projetos exitosos. Foi casado com Maria Mina Haffner, com quem teve dois filhos: Heinz Willi e Hanna Gerda. Faleceu em Porto Alegre, em 12 de novembro de 1952
Adminstradores | Jayme, Pedro, Domingos e Ramon, quatro irmãos originários da Espanha, tornaram-se comerciantes conhecidos em Porto Alegre. Isso possibilitou que se apresentassem para gerenciar o Hotel Majestic, em 1923. No dia 28 de abril, constituíram a empresa que iria se associar a Horacio de Carvalho, assumindo o controle das atividades.
Mario Quintana | Mario de Miranda Quintana, poeta maior do Rio Grande do Sul, foi morador do hotel por diversos períodos, entre os anos de 1968 e 1980, sendo um dos últimos a sair. Sua presença como hóspede tornou-se marca do local, e foi fundamental para sua eleição como patrono da Casa de Cultura. Nascido em 30 de julho de 1906, em Alegrete se consagrou por sua extensa obra literária e pelas poesias que o tornaram amplamente conhecido, falecendo em Porto Alegre, em 5 de maio de 1994,
Hóspedes
– Escritor Erico Verissimo e sua esposa Mafalda, vindos de Cruz Alta, passaram sua lua-de-mel no Majestic, em 1931.
– Presidente Getulio Vargas foi hóspede do hotel na juventude, quando a família vinha a Porto Alegre.
– Presidente João Belchior Marque Goulart, Jango, morou no hotel em seus tempos de estudante, antes de ir para Brasília
– Jogador de futebol Pelé, o ‘atleta do século’, sempre escolhia ficar no Majestic, quando seu time, o Santos, vinha jogar na cidade.
– Francisco Alves, cantor de fama nacional, descia as escadas encantando os hóspedes e funcionários do hotel, treinando a voz para a apresentação que faria à noite.
– Atriz Virgínia Lane, do Teatro de Revista, era conhecida como ‘a Vedete do Brasil”, título dado pelo Presidente Getulio Vargas. Apresentava-se por todo o país com sua própria companhia, e em Porto Alegre, hospedava-se no Majestic.

Exposição “Majestic: 100 Anos de História” 
Período: 19 de junho a 2 de julho de 2015.
Local: Sala de Exposições Memorial Majestic – no térreo da Ala Oeste da CCMQ (Andradas, 736)
Visitação: Segundas, das 14h às 21h; de terças a sextas, das 9h às 21h e sábados, domingos e feriados, das 12h às 21h.
Contato: Com Alexandre Veiga, responsável pelo Núcleo de Acervo e Memória da CCMA – e-mail aleveiga@cpovo.net e fones (51) 9828-7515 e 3212-7061 e com Gaby Benedict, do Núcleo de Exposições da CCMQ, no 51 3226-4825.
Entrada franca.

Foto: Núcleo de Acervo e Memória CCMQ/Divulgação

Foto: Núcleo de Acervo e Memória CCMQ/Divulgação

 

También, consideremos “http://kamagraoraljelly.me/es/” o Comprar Kamagra Oral Jelly. Muchos posiblemente piensan que la eficacia de Kamagra está bien documentada. No tome más de Kamagra o cualquier otro medicamento que el recomendado. El profesionalismo de la saludos cordiales tiene que resolver el problema qué dosis es la más adecuada. Si el medicamento se usa según sea necesario, es poco probable que esté en un programa de dosificación.